Quem somos

Quem somos

A nossa visão

O que sonhamos …

Um mundo fraterno, onde a dignidade dos mais frágeis e vulneráveis ​​seja protegida e valorizada com a força da esperança e do amor, através da solidariedade e da convivência harmoniosa entre as diferentes culturas e religiões.

A nossa missão

Que fazemos…?

Promovemos a solidariedade e a dignidade de todo ser humano, favorecendo o protagonismo dos mais excluídos, para que sejam pessoas solidárias, conscientes, responsáveis ​​e competentes na realidade em que vivem e no mundo.

Promovemos o valor e a dignidade da vida humana onde ela é ameaçada pela pobreza, a exclusão social e o estigma.

Despertamos esperança, autoestima e amor pela vida nas realidades mais degradadas, carentes e desfavorecidas, através da acolhida, a convivência, a educação, a promoção dos valores humanos e do potencial de cada um.

Alimentamos redes de solidariedade e espiritualidade entre os povos que permitam a aproximação, o conhecimento, a convivência e o respeito entre diferentes culturas.

A nossos valores

O que promovemos …?

– Vida
Esperança
– Dignidade do ser humano
– Acolhida
– Diálogo entre culturas e religiões
– Solidariedade

A nossa cultura

A nossa maneira de pensar …
– POTENCIAR AFRICA PARA AFRICA
– OPTAR PELOS MAIS FRÁGEIS E EXCLUÌDOS
– DAR AUTONOMIA E PROTAGONISMO ACTIVO AOS MAIS DESFAVORECIDOS
– ADOPTAR UMA GESTÃO ÉTICA E DIRECTA

A nossa maneira de agir…
– Com COMPROMISSO
– Com TRANSPARÊNCIA
– Na PAZ e com RESPEITO
– Com RESPONSABILIDADE

A nossa maneira de sentir …
– Em espírito de UNIVERSALIDADE
– E
m IRMANDADE
– Em COMUNHÃO DE IDEAL

Espiritualidade

Promovemos uma solidariedade comprometida, vivendo a unidade na diversidade. O valor do diálogo, da harmonia e do respeito entre culturas e religiões é um dos nossos valores inspiradores, por isso os nossos projectos sociais, de inspiração cristã, favorecem um compromisso vocacional de pessoas de diferentes religiões e espiritualidades.

Com as nossas actividades, queremos acender a luz da esperança nos contextos mais vulneráveis, elevando a vida e a dignidade dos mais frágeis e desfavorecidos.

As pessoas

A Fundação “Sementes da Esperança” é constituída por:

O Patronato em Espanha è o órgão de governo qua a representa 

Ignacio Soria Cabezas de Herrera  (presidente)
Juan de Dios Paños Gómez (1° vice)
Marifé Ferrero Vaquero (2° vice)
María Yáñez Alonso (Secretária)
Jorge Bort Alonso (vogal)
Roberto Pérez Rodríguez (vogal)
Sara Aparicio Pastor (Vogal)
Almudena González Alonso (Vogal)

Representantes legais em Moçambique

Ismael Ferrero Vaquero
Teresa de Jesús Vaquero 
Laura Pierino

Coordenadores moçambicanos dos Centros e Programas

Coordenador do Centro Recreativo “Okhaviherana”

Apresentação em preparação

Coordenadora do Lar da Esperança

Gestor
dos Recursos Humanos

Responsável pela área de Proteção à Criança

Apresentação em preparação

Coordenado do Centro “Jovens de Esperança”.

Sou licenciado em Ética, Cidadania e Desenvolvimento na Universidade Católica de Moçambique. No ano 2014 entrei na Fundação “Sementes de Esperança” como voluntário e fiz o meu estágio no Centro Recreativo “Okhaviherana”. Em pleno estágio, descobri que a minha espiritualidade se relacionava com a espiritualidade da Fundação, onde se promove uma solidariedade comprometida, se semeia a esperança nas pessoas mais vulneráveis, se eleva a vida e a dignidade dos seres humanos mais fracos e desfavorecidos e se promove o diálogo, a harmonia e o respeito entre as culturas e as religiões.

Quando fui contratado em 2015, como educador do Lar da Esperança, trabalhei com vocação, visto que nesse Centro tinha como grupo alvo aqueles a quem eu sempre sonhei em poder dar a mão, pelo amor de Jesus Cristo.

Graças aos valores que aprendi na Fundação, eu hoje tenho uma vida digna e já sou uma referência para algumas pessoas, sou um conselheiro para alguns membros familiares.

.. leia tudo ..

Sou licenciado em Ética, Cidadania e Desenvolvimento na Universidade Católica de Moçambique. Desde 2019 sou coordenador do Centro “Talita Kum – Jovens de Esperança” e exerço a função de educador na Fundação “Sementes de Esperança” desde o ano 2015.

Sou cristão católico e fui acolhido na comunidade cristã de São Carlos Lwanga de Mahate-Pemba, onde cresci e aprendi a Doutrina Social da Igreja Católica, que significou muito para a minha vida. As obras de misericórdia espiritual e corporal que se resumem em amar ao teu próximo como a ti mesmo e ajudar a quem necessita, serviram me como fonte de inspiração na minha caminhada.

No ano 2014 entrei na Fundação “Sementes de Esperança” como voluntário e fiz o meu estágio no Centro Recreativo “Okhaviherana”. Em pleno estágio, descobri que a minha espiritualidade se relacionava com a espiritualidade da Fundação, onde se promove uma solidariedade comprometida, se semeia a esperança nas pessoas mais vulneráveis, se eleva a vida e a dignidade dos seres humanos mais fracos e desfavorecidos e se promove o diálogo, a harmonia e o respeito entre as culturas e as religiões.

Quando fui contratado em 2015 como educador do Lar da Esperança, trabalhei com vocação, visto que nesse Centro tinha como grupo alvo aquele a quem eu sempre sonhei em poder dar a mão pelo amor de Jesus Cristo.

A Fundação significou muito na minha vida porque nesta organização tive a oportunidade de una iniciação profissional através de um trabalho digno, com a missão de promover a solidariedade, a dignidade de todo ser humano, a esperança e a vida humana.

Os valores que a Fundação “Sementes de Esperança” promove me ajudam a resolver alguns problemas do dia-a-dia no contexto social, familiar e particular. Graças aos valores que aprendi na Fundação, eu hoje tenho uma vida digna, já sou uma referência para algumas pessoas e sou um conselheiro para alguns membros familiares.

Agradeço a Fundação por tudo o que tem feito por mim, agradeço a todos os colaboradores e gostaria que continuássemos a lutar pela mesma causa, até que um dia germinem todas as sementes semeadas.

Coordenador dos Programas de Combate a Hanseníase.

Sou Pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus. Trabalho na Fundação “Sementes de Esperança” desde o ano 2007. Ao longo da caminhada, passei a trabalhar em várias áreas nos Centros e Programas até passar a ocupar o cargo de Coordenador Geral. Nesses trabalhos encontrei o caminho para pôr em prática os valores humanos e espirituais que desde a minha juventude cultivei na Igreja.

Eu tinha talentos e valores dentro de mim, mas faltava-me uma oportunidade mais profunda para mostrar o que tinha no meu interior, alias eu vivia mesmo com incerteza sobre o que eu era de verdade. Contudo, quando conheci a Fundação, comecei a ver o tesouro que adormecia dentro de mim, porque cada trabalho que eu realizava, servia para mim de máquina escavadora que tirava para fora o que estava em mim escondido.

.. Leia tudo ..

Sou Sufo Ássimo Carimo, natural do Distrito de Balama, e actualmente me encontro a realizar as minhas tarefas na Fundação “Sementes de Esperança” como Coordenador dos Programas de Combate a Hanseníase, junto à Associação de pessoas Atingidas pela Lepra em Moçambique -ALEMO-.

Sou um filho de duas nacionalidades, a minha mãe era Tanzaniana e o meu pai Moçambicano, dentre os filhos gerados pelos meus pais, eu sou o oitavo filho. Sou casado há vinte 22 anos. Neste casamento, tivemos o presente de quatro filhos, mas a vontade de Deus nos visitou e assim dois filhos já partiram para glória, pois o que Deus dá também pode levar; segundo como diz a Bíblia, em tudo damos graças a Deus.

Sou um cristão evangélico desde 1993. E desde que me tornei crente, ocupei várias posições na Igreja: fui líder dos jovens na Igreja de Montepuez, e quando atingi os 22 anos fui convidado para fazer parte no Ministério da mesma Igreja. Quando saí de Montepuez para Pemba, fui convidado para ser professor da Escola Dominical da Igreja Evangélica de Cristo e também fui nomeado como Vice-Presidente dos Jovens do Conselho Cristão. Depois dessa missão, fui chamado para liderar a Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Bairro de Chibuabuar e fiz esse trabalho por um período de seis anos.

Toda esta trajetória me ajudou a realizar o meu trabalho na Fundação desde que ingressei em 2007, pois a missão humanitária que assumi levou-me a realizar as minhas actividades com maior responsabilidade. Inicialmente fui admitido como educador no Lar da Esperança, mais tarde passei a ser também responsável da biblioteca e sucessivamente fui colocado como Coordenador do Centro, função que exerci mais tarde no Centro Recreativo “Okhaviherana”.

Ao longo da caminhada, passei a trabalhar em várias áreas nos Centros e Programas da FSDE até passar a ocupar o cargo de Coordenador Geral. Porém, de todas as actividades que desempenhei são duas as que marcaram a minha vida: o trabalho de educador e o trabalho com as pessoas atingidas pela lepra. Nesses trabalhos encontrei o caminho para pôr em prática os valores humanos e espirituais que desde a minha juventude cultivei na igreja.

Uma das actividades que fazia com muito gosto quando estava com as crianças do Lar da Esperança “Elda Lunelli” era a Formação Humana. Esta actividade foi uma alavanca para muitas crianças concretizarem os seus sonhos. Ainda hoje eles afirmam que para chegarem onde estão, reconhecem que o caminho foi aberto pela formação humana que receberam.

E falando das pessoas atingidas pela lepra, é bonito ver como pessoas que já tinham perdido o valor de viver e a esperança, de repente lutaram para o seu bem-estar, começando a realizar histórias bonitas nas suas famílias e nas comunidades.

O segredo de tudo isso é que quando transmitia para este grupo os valores que encontrei na Fundação, o fazia com muita certeza e acima de tudo, sentia dentro de mim uma voz que dizia: “Continua a falar porque eles vão estar bem, se colocarem em prática o que dizes”.

Diante de tudo isso, a minha fé́ que arrastava desde jovem cresceu e me ajudou a semear sem hesitação os valores na vida das crianças, assim como dos adultos, pois digo sempre: “Família, se nós não fizermos algo, ninguém fará por nós” e como resultado, nasce uma força nova no meio das pessoas e elas começam a acreditar que cada um é capaz. Quando isso acontece, os resultados são extraordinários no meio de cada um.

Eu tinha talentos e valores dentro de mim, mas faltava-me uma oportunidade mais profunda para mostrar o que tinha no meu interior, alias eu vivia mesmo com incerteza sobre o que eu era de verdade. Contudo, quando conheci a Fundação comecei a ver o tesouro que adormecia dentro de mim, porque cada trabalho que eu realizava servia para mim de máquina escavadora que tirava para fora o que estava em mim escondido. Assim eu iniciei a ter um crescimento na responsabilidade, na corresponsabilidade e na colaboração.

Posso afirmar sem receio que vejo a Fundação “Sementes de Esperança” como uma intervenção de Deus na minha vida, que serviu para trabalhar o meu carácter, afim de exercer tarefas tanto seculares como espirituais. Uma vez tirado para fora o que estava dentro, as pessoas já acreditam que posso contribuir com os valores humanos e espirituais que tenho para o bem da comunidade.

Hoje sou Pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, que se localiza no bairro de Expansão, onde tem um número de 120 crentes com diferentes idades e culturas. Para mim este chamado de Deus é um desafio para começar a grande viagem com as ovelhas do Senhor Jesus Cristo, sabendo que cada ovelha precisará dos meus cuidados como Pastor.

Nossas equipas

Centro Recreativo Okhaviherana

Lar da Esperança Elda Lunelli

Centro Jovens de Esperança

Centro Lambaréné

Manutenção e logística

Beneficiários:

– Crianças órfãs

– Crianças da periferia urbana

– Crianças desnutridas

– Crianças portadora de deficiência

– Meninas em risco de exclusão social

– Adolescentes e jovens vulneráveis

– Menores com necessidade de protecção

– Crianças e jovens com necessidade de apoio nos estudos

– Pessoas afectadas pela lepra

– Comunidades em aldeias afectadas por estigma social

Cada uma dessas pessoas é preciosa, necessária e responsável pela sementeira que, mais cedo ou mais tarde, fará germinar a esperança na vida dos mais frágeis.